blog

Bulimia: sintomas e tratamentos

A bulimia nervosa é um transtorno alimentar que se caracteriza por episódios freqüentes de compulsão alimentar, seguido de esforços frenéticos para evitar o aumento de peso, e pode afetar mulheres e homens de todas as idades. Hoje, contamos os sintomas e tratamentos da bulimia. É uma luta constante entre o desejo de perder peso para se manter magro e comer compulsivamente, e não implica, necessariamente, eliminar a comida do corpo através do vômito ou uso de laxantes ou diuréticos, também se qualifica como bulimia, o jejum, excesso de exercício ou as dietas de choque. Sintomas da bulimia Os sinais e sintomas de labulimia compreendem: – Incapacidade de parar de comer e falta de controle sobre a comida, de modo que você pode comer até um ponto de mal-estar físico e dor. – Alternância entre comer em excesso e jejum. – Sigilo em torno da alimentação, de modo que as pessoas que sofrem de bulimia querem comer na intimidade. – Consumo de grandes quantidades de alimentos, sem qualquer alteração no peso. – Calos ou cicatrizes nos nós dos dedos por provocar o vômito. – Bochechas inchadas, causadas por vômitos repetidos. – Flutuações de peso. – Descoloração dos dentes, devido aos ácidos do estômago. Tratamento da bulimia Recuperar a bulimia é um processo difícil e longo, onde o primeiro passo necessário é o reconhecimento do problema, o que implica uma mudança de estilo de vida. Os tratamentos de bulimia do tipo psicológico ajudam a restabelecer as atitudes saudáveis para a alimentação. Podem ser: 1) Terapia cognitiva comportamental Trata-Se de falar com um terapeuta, onde se elaboram novas formas de pensar sobre os sentimentos e dos alimentos, também se pode manter um diário alimentar, que pode determinar o que desencadeia a compulsão. 2) Terapia interpessoal Nesta reunião com o terapeuta, a atenção centra-se nas relações pessoais 3) Medicação Você pode usar antidepressivos -inibidores seletivos de recaptação de serotonina-, onde o progresso deve ser monitorado cuidadosamente. O processo de recuperação pode ser longo e difícil, tanto para a pessoa em questão, como para a família e amigos. Para poder se recuperar, a pessoa afectada deve mudar seus hábitos alimentares, mudar a forma de pensar sobre os alimentos e ganhar peso, se necessário.