blog

Chaves sobre a nutrição esportiva

O esporte é um dos hábitos mais saudáveis que podemos incluir em nossa vida diária, dado que dará tonificação nossos músculos, nos ajudará a combater essa acumulação de gorduras desnecessárias em nosso organismo, aumentar a nossa massa muscular , além de inúmeros outros benefícios para a nossa saúde física e mental, mas será que realmente sabemos, seguir uma alimentação adequada, quando realizamos uma atividade física determinada com certa frequência? O simples fato de praticar o esporte nos ajuda a combater os sintomas associados com a obesidade, uma das principais causas de diversas doenças a médio ou longo prazo que hoje em dia sofre um considerável porcentagem da sociedade ocidental. Não obstante, além da força de vontade, na hora de praticar esporte, temos de levar a cabo uma série de medidas para evitar qualquer efeito prejudicial sobre nosso organismo. Além de roupas, calçados, um equipamento adequado e controlar o tempo e o esforço físico realizado, temos de fornecer ao nosso organismo os nutrientes que precisamos para resistir durante nosso treinamento. A energia, em forma de hidratos de carbono, açúcares e proteínas, torna-se um dos mecanismos básicos que fundamentam a nutrição esportiva. Cada pessoa, em função da intensidade e duração das sessões de treinamento de sua atividade física, você vai precisar de uma quantidade de comida certa. Tendo em conta este último ponto, a grandes traços, temos de considerar que a dieta de um atleta deve ser alta em hidratos de carbono. Se falamos de um atleta, por exemplo, entre 55 e 75 kg de peso, temos de considerar que, conforme estabelecem os especialistas em nutrição, em torno de 55% de suas necessidades de energia são provenientes de alimentos ricos em hidratos de carbono, os quais se transformam posteriormente em glicose, um dos principais motores para que nossos músculos funcionem. Se você pretende empreender algum tipo de competição esportiva, para preencher o fígado e os músculos de glicogénio (forma em que se armazena a glicose) pode ingerir porções extras de hidratos de carbono em doses ligeiramente mais elevadas do que você consumir habitualmente. Estes alimentos são, por exemplo, o arroz, massas, frutas, tubérculos ou cereais. Igualmente, a água desempenha um papel fundamental para manter a forma e evitar a desidratação. É conveniente tomá-la durante e depois dos treinos e competições, prestando especial atenção e cuidado com as bebidas com cafeína, não recomendados nestes casos. As proteínas são outro dos nutrientes essenciais para a dieta de um atleta, mas, neste caso, ao contrário dos hidratos de carbono, temos de controlar suas quantidades. Você pode encontrar mais informações e suplementos protéicos na loja online de nutrição esportiva que te indicamos o link. Por exemplo, no caso dos atletas de resistência ou preparados para as competições de alto nível, é preciso aumentar a dose de alimentos protéicos para que seus músculos possam se recuperar após a realização do esforço físico a que têm sido submetidos. Aproximadamente, para cada 7 kg de peso corporal, recomenda-se uma ração de proteína, o que equivale, por exemplo, a 250 ml de leite desnatado ou 30 gramas de carne vermelha, peixe ou frango sem pele. Por outro lado, recomenda-se controlar o consumo em excesso de gordura. O certo é que, por exemplo, para a absorção de vitaminas lipossolúveis é necessária a ingestão de uma mínima proporção de gordura. Temos de apostar em qualquer caso, por alimentos com um baixo percentual de gordura e evitar, por exemplo, a pastelaria industrial, molhos, como maionese ou manteiga. No que diz respeito ao tipo de minerais, no caso das mulheres atletas, com ausência de menstruação tendem a aumentar as necessidades de cálcio para compensar sua menor absorção intestinal deste mineral, sendo aconselhável a ingestão de produtos lácteos, tais como leite ou iogurte desnatados. Por outro lado, o ferro também desempenha um papel muito importante, já que vai trazer mais energia para o nosso corpo, sendo no caso dos atletas, uma demanda maior do mineral que a de uma pessoa sedentária. São apropriados nestes casos, o consumo de carnes e legumes. Além de fornecer energia para conseguir a máxima quantidade de glicose nos músculos e conseguir uma boa recuperação muscular e articular, a nutrição esportiva visa evitar comer em excesso, aumentar o peso corporal, para evitar possíveis carências por falta de nutrientes e a vontade de comer cada um breve lapso de tempo. A alimentação, por conseguinte, apresenta-se também no âmbito desportivo como um dos pilares básicos que nos permitem enfrentar os esforços físicos que requeira o nosso treino ou competição. Por isso, há que cuidar o que comemos, também, quando fazemos desporto. Mas vós?, você prende um programa dietético especial quando practicáis algum exercício físico com uma certa freqüência?