blog

Dicas para prevenir e tratar o 'chicote cervical'

A lesão mais comum em acidentes de carro é o "chicote cervical", de acordo com um estudo publicado pelo Centro de Estudos põe-lhe o FREIO-AXA de Segurança Rodoviária. Em concreto, 43% das vítimas de acidentes de viação que sofreu um entorse cervical. É importante conscientizar a população sobre a necessidade de colocar corretamente o encosto de cabeça e manter a distância de segurança para evitar a lesão. O chicote cervical se manifesta em diferentes tipos de patologias, incluindo a dor e rigidez do pescoço, dor de cabeça, fraqueza de ombros, tonturas, vômitos e fratura ou luxação cervical. O período de convalescença, não costuma ultrapassar os dois meses, mas, em casos mais graves, que incluem fraturas complexas ou similares, poderão requerer cerca de seis meses de recuperação. Um problema que pode ser evitado com um simples gesto: – Altura do encosto de cabeça deve ser colocada na linha com a parte superior da cabeça. – Deve-Se ajustar o encosto do assento, a fim de que a cabeceira fique o mais próximo possível da cabeça, mas sem que esta se apoie. Além disso, você deve colocar o encosto o mais vertical possível e não separar as costas dele. – Se nós somos o condutor, há que estar atento ao retrovisor para poder antecipar um possível choque traseiro e assim esticar o corpo. Quando sofreu uma lesão em chicote, os médicos sugerem: – Se foi colocado um colar cervical sem existir subluxação ou fratura vertebral, retirá-lo no prazo máximo de 48 horas. – A não ser que o especialista diga o contrário, iniciar o mais cedo possível uma reabilitação que inclui, sempre, exercícios simples e progressivos duas ou três vezes ao dia. Em contrapartida, os tratamentos de eletro termoterapia (infravermelho, microondas, ondas curtas) ou massagem, sem exercícios da área, podem retardar o processo de recuperação. – Não realizar atividades que envolvam uma sobrecarga na região cervical ou dorsal. – Se estamos trabalhando ou realizando outras tarefas, é importante realizar paragens de 3-5 minutos a cada hora e meia para realizar exercícios flexibilizantes. – Uma atitude positiva sempre é de grande ajuda na hora de reduzir a percepção da dor.